quarta-feira, 30 de abril de 2014

Nós somos uma geração sem peso nenhum na história

Nem ao menos escureceu
e já estamos entornando
mais um copo de vodca barata
somos o sentimento de autodestruição de Joe

Acordamos em uma cama macia
com um gosto de saliva desconhecida na boca
e uma dor de pensamentos ocupa a cabeça
somos o arrependimento de Joe

Por outros descobrimos
o que falamos, o que fizemos
naquele lugar com música alta e luzes coloridas
somos o sentimento de vergonha de Joe

Voltamos para o serviço que odiamos
somos rebaixados e ganhamos um mísero salário
para comprar algo que não precisamos
somos a futilidade de Joe

Reclamamos do mundo e de tudo
sentados no sofá com o controle remoto nas mãos
nada muda e continuamos vivendo no dia seguinte
somos o sentimento de acomodação de Joe

Somos vermes, da lama ao barro
Procurando por algo que vá nos preencher
Nessa busca incessante por um sentido 
E somos o pedido de socorro de Joe

"Tem um velho ditado que diz que você sempre mata aquilo que ama, bom, a recíproca também é verdadeira." - Trecho do livro O Clube da Luta de Chuck Palahniuk

                    "Esta é a sua vida, e ela está acabando um minuto de cada vez." 
                                                          - Trecho do filme O Clube da Luta

Daniela Silva

17 comentários:

Samuel Balbinot disse...

Boa tarde Dani.. tua poesia reflete bem o que tb estou vendo e colocando em forma de versos.. segunda posto decadência.. pq é assim que tá.. geração sem brilho.. não sei onde tudo vai parar bjs

Patrícia N. disse...

Acho que às vezes as pessoas se tornam fúteis porque a vida lhes permite tomar essa condição mísera. Bela reflexão! Estava com saudade do seu blog <3

jair machado rodrigues disse...

Querida Dani, que bom estar aqui, quase posso ouvir um blues ou jazz, um Charle Parker, the bird, também lembrei Lou Reed e Bob Dylan, mas pode ser divagação da minha mente/sentimento ao ler teu poema, gosto da história de Joe, somos Joe's...
"Somos vermes, da lama ao barro
Procurando por algo que vá nos preencher
Nessa busca incessante por um sentido
E somos o pedido de socorro de Joe"
Forte teu poema, cuel por nos colocar em xeque, pois assumimos os piores sentimentos no decorrer de nossa história e acreditamos que foi nossa melhor escolha, bem quastionaor e reflexivo. Gosto e preciso disso. Obrigado cara Dana.
ps. Carinho resperito e abraço.

Lê Fernand's disse...

a vida é, sem dúvida, questão de escolha!


bem vinda ao benditas, dani. :)
bj meu

Gabriela Marques de Omena disse...

A futilidade chega a ser útil, sabe?
para sermos inseridos neste mundo injusto
É preciso ter olhos rasos
para não enxergar o abuso e
fazer vista grossa pro absurdo.

Fábio Murilo disse...

Texto perfeito, Dani. habilmente construído. Belas e expressivas imagens. Somos a sociedade que não somos.

Gyzelle Góes disse...

Pois é, nos acomodamos em uma vida que nos alucina ! É puro vazio. Bonita poesia.

Evandro L. Mezadri disse...

Você está correta em todas as suas afirmações, brilhantes e fortes versos, uma aula de realidade!
Grande abraço, sucesso e grato pela visita!

Laura Santos disse...

Um poema extraordinário, Daniela. Gostei muito.
xx

Jeferson Cardoso disse...

Oi, Dani! No desencontro muitas vezes eu me encontro. A busca é de fato um tanto inútil. A seu tempo, o que for de direito nos assaltará. Não há tanto sentido na vida artificial que criamos. O universo ensina. Basta estarmos atentos. Blogueira, convido para que leia e comente “THE SMITHS, O CONTO” em meu http://jefhcardoso.blogspot.com

Erica Ferro disse...

Um soco na cara da sociedade. Precisamos sair dessa zona de conforto e quebrar paradigmas, quebrar as cadeiras e exigir uma vida mais digna para todos nós. Acho que é isso.

E, puxa, preciso ler esse livro.

Sacudindo Palavras

Nina disse...

Esses versos são tão verdadeiros e essa verdade dói imensamente em meu peito.
Linda postagem. Parabéns!

Beijos,
Blog | Youtube

Rapha Barreto disse...

E fazemos isso todos os dias, enquanto a vida passa.
Adorei e com certeza vou ler este livro (já anotei o nome). É um ótimo jeito de "descrever" nossa realidade.

Beijos e ótima semana

http://mylife-rapha.blogspot.com

AC disse...

O que (não) somos, a consciência do que nos passa ao lado, o lado áspero da lucidez...
Tocou-me em cheio, Dani!

Beijo :)

Anderson Lopes disse...

Maldita a nossa leveza...

Rick disse...

É uma verdade básica do mundo em que vivemos. É simples, futilidades pra todo lado...

Boa noite,

Vitor Costa disse...

Você capturou a essência do livro/filme "Clube da Luta" e o adaptou em uma poesia crua e inclemente, tal como a obra original.

Gostei muito.

http://leigopoeta.blogspot.com.br/