quinta-feira, 29 de maio de 2014

Siga seu caminho e faça seu coração parar de chorar

Isso é nítido 
E todos conseguem perceber
Que você levou um pouco da minha alegria
Quando resolveu fechar os olhos para a vida

Sempre consegui te entender
Nunca nos encaixamos nas cópias
E somos pressionadas por um mundo
Que não queremos aprender

Não há sentimento de culpa
Apenas respeitei sua escolha
Hoje quando as lágrimas insistem em cair
É porque a saudade transbordou do peito

Todos dizem para eu seguir em frente
Que não posso mais desanimar
Está difícil sem você aqui
Mas é pelo os que ficaram que vou continuar

Sei que te amar para sempre não deve ser errado
Você ainda é meu primeiro e último pensamento do dia
Sua voz ecoa em minha cabeça
E é do seu sorriso que sempre vou lembrar

Mas a vida é isso mesmo
Se resume nessa grande merda
E sofrer é um acréscimo
De quem se dispõe a amar

Eu escolhi amar você
E se hoje voltei a sorrir
É porque sei
Que um dia a gente se encontra

"Você pode amar muito alguém, mas você nunca pode amar uma pessoa tanto quanto pode sentir falta dela". - John Green
 "Afinal, aquilo que amamos sempre será parte de nós". - J.K. Rowling


G. 18/05/2014

Daniela Silva 

9 comentários:

Samuel Balbinot disse...

Bom dia Daniela.. já passei por muitas dessas coisas.. se sofremos é certa apenas uma coisa..que foi gostar e não amar..
estamos presos nos degraus da paixão e do desejo.. o degrau do amor fica mais acima.. beijos e grato pela visita

Rapha Barreto disse...

Sinto muito pela sua amiga, lendo isso me deu vontade de chorar, sério.
Por que as pessoas decidem fazer isso? Não conheço ninguém que tenha feito essa escolha, mas sei como é difícil - mas não posso chegar nem perto de um relato como o seu.
Desejo lhe força nesse momento, não só para você, mas para a família dela também.

Beijos e ótimo final de semana

http://mylife-rapha.blogspot.com

ramonlvdiaz disse...

geralmente falamos de nossas vidas, nossos arredores e amigos e temos todo esses "calculos do gesto" que nos acompanham toda a vida - raramente sabemos o impacto que causamos ao nosso redor e com muita tristeza e alegria não-raro nos supreendemos a nós mesmos através dos olhos de outros... olhos que desaparecem sem avisar, sem que dê tempo, sem deixar esquecer no tempo o quanto se olharam; de uma hora para outra, simplesmente não estão mais
ali, mas esse não estar ali, agora parece tão maior, mais presente... não sabemos o tamanho da vida, e também não sabemos o tamanho da morte.

um abraço

Mewlana Jalaluddin Rumi - A Stone I Died

A stone I died and rose again a plant;
A plant I died and rose an animal;
I died an animal and was born a man.
Why should I fear? What have I lost by death?


Jens Peter Jacobsen - Niels Lhyne [excerpt]

There are those who can take up their grief and bear it, strong natures who feel their own powers through the very heaviness of their burden. Weaker people give themselves up to their sorrow passively, as they would submit to a sickness; and like a sickness their sorrow pervades them, drinks itself into their innermost being and becomes a part of them, is assimilated in them through a slow struggle, and finally loses itself in them,
as they return to perfect health.But there are yet others to whom sorrow is a violence done them, a cruelty which they never learn to accept as a trial or chastisement or as simple fate. It is to them an act of tyranny, an expression of personal hate, and it always leaves a sting in their hearts. Children do not often grieve in this way, but Niels Lyhne did. For had he not been face to face with God in the fervor of his prayers? Had he not crawled on his knees to the foot of the throne, full of hope, tremulous with fear, and yet firm in his faith in the omnipotence of prayer, with courage to plead until he should be heard?[...] This God, Who always answers with a miracle, is the one to whom children speak when they pray. By and by, a day comes when they understand that they have heard His voice for the last time in the earthquake that shook Golgotha and opened the graves, and that now, since the veil of His Holy of Holies has been rent in twain, it is the God Jesus who
reigns; and from that day on they pray differently.

Jorge Leandro Carneiro disse...

Doeu-me pela identificação.

Hellen Hosseini disse...

Lya Luft escreveu que, encontrar pode ser impossível ou desinteressante.
Mas devo dizer que também quero encontrar alguém mais tarde, preciso desse alívio.

Rapha Barreto disse...

Volte logo! E sorria.

Beijos

http://mylife-rapha.blogspot.com

Evandro L. Mezadri disse...

Muito bom, sensibilidade incrível!
Grande abraço e sucesso!

Jéssica M. disse...

Olá, Dani!O documentário é realmente muito marcante, posso imaginar o que ele causou em você, levando em consideração a sua recente perda. Entendo que a sensação de culpa é inevitável e que o luto nesses casos, ao meu ver, é um tanto mais caótico, mas não se esqueça de que foi uma decisão tomada a duras penas. Lembre-se de como foi importante conhecer uma pessoa tão especial como você descreve no seu poema. Muito grata pela sua visita. Também estou te seguindo.

"There is another world
There is a better world
Well, there must be
Well, there must be
Bye bye"

Bruna Morgan disse...

Nossa, arrepiei!

meu blog ♥