sexta-feira, 14 de março de 2014

Incógnita



Isolo-me em um mundo onde fui colocada sem minha permissão. Sempre morrendo aos poucos todas as noites. Fazendo perguntas sobre coisas que ninguém sabe responder. Sinto medo dos novos dias, mas, me alegro com as descobertas. Mesmo assim, não me encontro, procuro sempre por algo que eu não sei o que é, mas desejo encontrar. Um sentimento bipolar de querer colo e querer estar só. É a sensação de olhar no espelho e ver a imagem desfocada. De tentar andar pelo caminho certo e acabar tropeçando nos trilhos. Correr para tomar um banho de chuva e no mesmo instante abrir o sol. É falhar e falhar constantemente e mesmo assim despertar para o trabalho na manhã seguinte. Aquela sensação de viver em uma roda-gigante. É o momento onde se descobre que seu segundo nome sempre foi incógnita. 

Daniela Silva

14 comentários:

Samuel Balbinot disse...

Bom dia Dani.. passei por momentos assim.. tive pensamentos da mesma estirpe mas a vida nos ensina muito quando a gente cai e a poeira nos cobre..
a terra é um grande faculdade.. muitos ficam correndo atrás do diploma e esquecem de si mesmos..
bjs e um lindo dia

Fábio Murilo disse...

Lindo! Estou me vendo nessa eterna insatisfação e busca. Nesse mal estrar no mundo.

Larissa Bello disse...

Sim, viver e estar vivendo é exatamente isso que você descreveu. A descoberta está sempre no nosso olhar. E para enxergarmos a luz, é preciso conhecer a escuridão. Para sabermos o caminho certo, precisamos antes trilhar alguns errados. Nada é totalmente bom e nem completamente ruim. A descoberta está sempre no nosso olhar.

Bjos!

Rapha Barreto disse...

Sei como é se sentir assim, ás vezes temos respostas, as vezes não. Me sinto as vezes "carente" e com vontade da solidão também. Há dias que acordamos bem e outros que acordamos mal. Faz parte de quem somos.

Adorei o texto,

beijos

http://milife-rapha.blogspot.com

Antônio LaCarne disse...

que lindo texto!

Victor Tateoki disse...

A vida mesmo uma roda gigante ela roda igual, as vezes com seus altos e baixos.
As vezes precisamos de um amor que faça parar no alto e quando estamos pra baixo, que rode para o alto de novo.

jair machado rodrigues disse...

Olá Dani, acabei de chegar e estou amando este espaço...fiquei tão comovido que sumiram as palavras, mas um poeta me salvou. Faço também minhas as palavras do poeta Fabio Murilo. O meu segundo nome é equívoco.
ps. Carinho respeito e abraço.

Evandro L. Mezadri disse...

Que belo texto, muito bem escrito, palavras saídas da alma!
Grande abraço e sucesso!

Anderson Lopes disse...

Você descreveu o meu momento com riqueza de detalhes! Muito obrigado!

Vinícius D. Costa disse...

Acredite, seus devaneios diários refletem bem minha condição atual. Terceiro ano, doenças, amores, confusão, auto-estima... Enfim. Adorei! <3
Abraço,
Vinícius - Livros e Rabiscos

Rapha Barreto disse...

Voltei e lendo pela segunda vez, percebo que vou publicar em meu blog kk.
Volte logo!

Geralmente eu não peço esse tipo de coisa, mas você pode me ajudar votando no meu quarto como mais bonito? Desde já gradeço >>>>>>>>> http://www.pequenamenina31.blogspot.com.br/2014/04/vote-concurso-meu-quarto-no-pequena.html#more

Beijos!

http://mylife-rapha.blogspot.com

Bruna Morgan disse...

Bem profundo!

Meu Blog ♥

Rapha Barreto disse...

Ta na hora de voltar para cá,

Sei que é chato ficar pedindo essas coisas e tals, mas é importante para mim. Estou participando de uma promoção, você poderia curtir a página e minha foto (estou com uma faxinha vermelha). https://www.facebook.com/#!/ProvattiFotografia
Desde já obrigada.

http://mylife-rapha.blogspot.com

Gyzelle Góes disse...

É o momento que você descobre que o vazio é maior do que pensava.