sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

No espelho essa cara já não é minha

Os retratos na parede me fazem lembrar como eu pensava em outrora. Me fazem ter vontade de voltar, de viver cada momento com mais intensidade. O passado de recordações concretas e firmes, pois, quando olho para trás sei dizer quem eu era.
Hoje mudei. O fato não é que eu não goste de mudanças, só não sei dizer em que tipo de pessoa estou me tornando...
E hoje, quando olho as fotos recentes que decoram a estante da sala, sinto um enorme vazio.
 
Daniela Silva

6 comentários:

Samuel Balbinot disse...

Bom dia Dani, só as mudanças nos fazem crescer por mais doloridas que sejam, somos muito presos a fatos e um passado que não queremos soltar e isso que nos impede de seguir bjs de bom dia

Milena M. disse...

Oi, Dani!
Olha, acho que essa sensação acompanha a gente durante toda a vida. Estamos sempre nos transformando em outra pessoa, por isso sempre vai ter um certo estranhamento. Mas isso não precisa causar nenhum vazio. Infelizmente também não descobri ainda como evitar. hehe
Boa sorte pra gente. Beijo!

Gabriela Marques de Omena disse...

A nostalgia torna as coisas mais coloridas do que realmente foram.

Rapha Barreto disse...

Sei como é isso, mas logo o vazio dá espaço a algo, mas para isso você tem que querer também. Bela escrita.

Beijos e feliz 2014!

http://sonhosdeumamadrugadadeinverno.blogspot.com

Larissa Bello disse...

Já me senti assim, sem me reconhecer no espelho que me reflete. E refletir sobre si mesma nos dá uma outra cara que não mais reconhecemos, talvez porque ainda estamos nos conhecendo. Estranhar-se e entranhar nos cantos escondidos que temos, mesmo sem saber o que iremos encontrar.

Bjos!

Bruno Eleres disse...

Esse texto parece ter sido tirado de um diário. Digo isso porque mantenho um e às vezes posto fragmentos dele no meu blog, e se parecem muito com textos como este seu.

Gostei =D