quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Me dê um gole de vida

Vejo
Passarem os dias
As semanas
Os meses
Os anos

Sinto
Tudo
Sinto
Muito
Não te sinto

Nas noites
Choro
Escutando os gritos
Do silêncio

Inundo o quarto
Com preces
Sussurradas 
E adormeço

Desperto 
Com o cantar dos pássaros
E se tem início
A batalha interior

Vontade 
De encarar a vida
Não mais 
Porém o coração
Ainda arde


Daniela Silva 

11 comentários:

Rick disse...

O importante é encarar a vida, não importando as circunstanciadas.

Teu texto ficou bonito, bjos.

Thaís disse...

Acordar com o cantar dos pássaros é uma delícia... Aposto que serve como combustível pra essa batalha interior diária.

Rapha Barreto disse...

Acordar nem sempre é "fácil"e ás vezes passamos o dia ansiando pela hora que vamos dormir para poder esquecer algo.

Ah, postei um texto seu em meu blog (mais um kk)

Beijos
http://mylife-rapha.blogspot.com

Pérola disse...

A vida levada em ritmo de poeta.

Gostei bastante.

Beijinhos

Ariana Coimbra disse...

Enquanto a vontade de encarar a vida permanecer, nenhum ardume no coração te impedirá de lutar pra conseguir o que quer.

Lindo poema Dani, adorei a sua forma espontânea de desenrolar o poema.

Beijos

Evandro L. Mezadri disse...

Bela obra, como todas que vejo por aqui!
Grande abraço e sucesso!

Rapha Barreto disse...

Fico feliz que gostou da minha lista,faça uma sim e me avisa, que vou querer ver a sua *-*

Beijos e ótima semana
http://mylife-rapha.blogspot.com

Fábio Murilo disse...

"Mê dê um gole de vida", titulo ótimo, meio poema. Titulo são importantíssimos! Dependemos do outro, não nos bastamos, o outro é complemento, é nosso bem, é nosso mal, é, afinal, nossa cara metade. Ótimo poema, Dani.

Dilly Monnete disse...

Quem nunca passou por isso
Que atire a primeira pedra.

"Sinto tudo.
Sinto muito."
Menina, isso foi impactante.

(:

dillymonnete.blogspot.com

Andressa Pereira disse...

Tive tempo de ler Resiliência...sinto muito Dani.
É muito triste perder alguém, é muito dolorido, mas as dores não duram pra sempre né? A gente só se adapta a elas pra não doer, pra lembrar de formas diferentes...
Espero que esteja bem!

Identidade Aleatória

Gyzelle Góes disse...

Coração arde, coça, chora... Adoro seus escritos