quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Essa pode ser a última carta

Olá, como estão as coisas?

Desculpa escrever assim, sem avisar, é que eu só queria que você fosse a primeira a saber.
As coisas, bom, as coisas não mudaram, na verdade não acho que algum dia irão mudar. Fico frustrada com o quão rápido me prendo em rotinas. É sempre o mesmo caminho, os mesmos problemas, os mesmos diálogos, até a cerveja tem sido a mesma.
Levanto todas as manhãs com vontade de continuar dormindo e quando chego em casa não quero ouvir a voz de ninguém, só quero me fechar no meu mundo e ler os meus livros.
Se você estivesse pessoalmente aqui posso até detalhar o que faria, você olharia em meus olhos, com aquela sua cara de decepção e diria que sou ingrata. Primeiro, não acho que sou ingrata, só porque tenho "tudo" (como você sempre diz) não quer dizer que eu me sinta feliz, até porque esse "tudo" não me preenche em nada. Segundo, essa sua cara de decepção me mata por dentro. Eu sempre vivi para corresponder as expectativas alheias e não as minhas, agora que tenho feito o que quero todos estão tristes ou decepcionados. Talvez a culpa tenha sido minha, afinal, sempre mostrei para todos aquilo que eu quero que vejam. Sei que não gosta quando digo isso, mas, não sei o que fazer, adquiri o péssimo gosto de gostar de tudo o que me destrói. Terceiro, cansei de existir e ter a sensação de não viver. Sabe como é se sentir assim? Ou você só se acomoda e nada questiona?
Ontem cheguei a uma conclusão, sabe aqueles pensamentos que martelavam todas as madrugadas? Resolvi não deixá-los me abater e já tenho dinheiro suficiente. 
Não sei se as coisas vão dar certo, mas estou indo. Não prometo mandar notícias, até porque, acho que vou estar muito ocupada vivendo.

Daniela Silva

9 comentários:

Gyzelle Góes disse...

Perfeito. Vá e não compre a passagem de volta. Ser feliz é cansativo mas temos tão pouco tempo para isso que trabalhar todos os dias para o ser vale a pena. Que seja a última carta, o fim.

Sobre sua escrita, gostosa.

Bell disse...

Por vezes me sinto com vc.

bjokas =)

Evandro L. Mezadri disse...

Ótimo texto, Daniela!
Perfeitas suas colocações, viver é difícil e não agrada as pessoas, com certeza!
Grande abraço e sucesso!

Renan Mendes disse...

Ocupar o tempo vivendo pra valer, de verdade, é a melhor maneira de passar por esse mundo.

Fábio Murilo disse...

Viver é agora, o resto é suposição, projetos de vida, esboços. A vida é uma aposta, todos nos somos jogadores, competidores. Certo ou errado? Façam suas apostas.

http://apoesiaestamorrendo.blogspot.com.br/

Patrícia N. disse...

Olha, eu passei boa parte da minha vida imaginando estereótipos de felicidade e liberdade totalmente comum e convencionados com o que a maioria das pessoas pensam. Mas, com o tempo, eu fui ficando mais velha e reconhecendo sentimentos como amor, gratidão, segurança...Acho que eu estou aprendendo a ser feliz de vez! Gostei do seu texto :)

Bruna Trovão disse...

Legal sua carta, desde que você esteja usando a razão e não os sentimentos, tudo vai dar certo, porque os sentimentos nos enganam e a gente sempre acaba se dando mal...
Bjo

Antônio LaCarne disse...

dani, a leitura dos teus textos é simplesmente um prazer.

Rapha Barreto disse...

Abra os braços e viva, intensamente, o que for possível viver, mas jamais esqueça seus valores e suas raízes.

Ótimo dia,

http://mylife-rapha.blogspot.com