terça-feira, 5 de novembro de 2013

O fim da seca


As previsões dizem que a chuva é certa
essa noite o céu nem ao menos escureceu
o chão cada vez mais árido
com rachaduras que aparecem com mais profundidade.

No peito seco.
Nos olhos, hoje cegos, por tanta poeira.

Até mesmo os pássaros
que na mente faziam morada
partiram...

Ficou apenas um belo mandacaru.
Isolado de tudo, de todos
com seus pequenos espinhos, brotou flores!

Ao raiar do dia
ousei fazer uma pequena oração
para que as previsões estivessem corretas.

Alguém me ouviu
e a chuva fez inundação no peito.

Agora há tanta água
que aos poucos estou afundando
morrendo
dentro de mim.

Daniela Silva

11 comentários:

Samuel Balbinot disse...

Boa tarde Dani.. poesia muito bem moldada esta tua.. dentro de nós tem rios e mais rios passando e eles tendem a desembocar.. que ai dentro possa ter fim esta seca... e que tu possa regar as sementes internas com aguas de chuva mesmo.. as outras aguas internas que sigam o rumo delas beijos e um lindo dia

Bandys disse...

Dani,
Adorei.
A vida é feita de altos e baixos, secas e tempestades, calor e frio. E temos que aprender a conviver com todas as estações.

Uma noite cheia de luz e paz
Beijos

Erica Ferro disse...

Essas suas linhas doeram em mim.
Que, quando estivermos prestes a morrer afogados, lembremos subitamente que sabemos nadar desde o ventre de nossa mãe.
Que nademos nas nossas lágrimas. Nademos até chegar a areia e encontrar as flores.

Um abraço!

Sacudindo Palavras

Bell disse...

Que lindoooo!!!

bjokas =)

Rapha Barreto disse...

Lindo !!
Em nós a períodos de seca e enchentes, e devemos aprender como sobreviver em ambos.

Beijos.

Hugo R. disse...

Parabéns moça, amei a forma que descreveu a mudança de um coração vazio para um coração cheio de amor. E obrigado pela visita, volte mais vezes!

Larissa Bello disse...

Não vai afundar não. Quando chovemos dentro da gente é sinal de que estamos irrigando a alma para que novamente floresça.

Bjos!

Suzi (Vulgo, Emilie) disse...

Mas, a abundância, não deveria ser algo bom? digo, se você pediu por isso e teve....

Rapha Barreto disse...

Tem uma promoção nova lá no meu blog, dá uma passadinha por lá e confira.
http://mylife-rapha.blogspot.com.br/2013/11/promocao-seu-cantinho-no-meu.html

Ótima semana (:

Eliana Lee disse...

Que lindo, Dani!
Essa realidade literal é muito parecida com uma cidadezinha que conheço. Quando vem a água, é tão abundante, que as pessoas "se afogam" nela. Quando há a seca, voltam a pedir a chuva.

Agora, a realidade não-literal escondida aí por debaixo dessas palavras lindas também me emociona. Um coração vazio que se vê saciado ao extremo, acaba por "se assustar", por assim dizer. Amei demais.

poetaeusou . . . disse...

*
amei
,
aqui é Outono,
cai a folha
cai a chuva
que moldam o adubo,
o frio e o gelo
amolecem a terra
num sacrificio consentido,
martirio premiado
numa Primavera em Flor.
,
um mar de amizade,
deixo,
*