quinta-feira, 5 de abril de 2012

Sem você

Um quarto bagunçado. 
As memórias guardadas junto as fotos na parede.
Teu sorriso nos meus olhos.
Aquele cantinho no sofá, era nosso.
Agora é apenas um sofá carregado de saudade.
O abraço que me acalmava, hoje vaga de encontro a outros corpos.
Impossível ser a mesma.
Volte olhos cor do céu.
Nostalgia angustiante, é díficil viver assim.
Noites vazias...
Mas ainda posso ouví-lo cantar antes de dormir.

Imagem de Orlando Pedroso
Inspiração To Love Somebody - Janis Joplin

Daniela Silva

9 comentários:

Lucas disse...

rsrs pior que sei bem o que é isso, ver esse sofá vazio que antes estava 'completo'

bjxxx

Debbys disse...

ahh, espero não ter que passar por situações assim.. hehehehe.. é triste ter que esquecer alguém!

ah menina, com certeza dá um frio na barriga só de pensar em sair da casa do pai, mas meio que já tá na hora sabe... quero ter meu canto com o namorado, pra mais tarde casar e etc.. então, preciso começar logo ne! Mas ainda tenho uns 2 anos pra me ajeitar, pq só sair de casa depois de formada e com dinheiro guardado né.. hehehe

bjinhusss

Jade Amorim disse...

Que poema mais nostálgico, me lembrou tantas coisas. É ruim esse vazio de quando a pessoa se vai, né?

Beijos.

Rapha Barreto disse...

sei o que é isso e digo que não é facil. Nem um pouco fácil. Mas passa, ou vs se acostuma.
Gostei do texto (:

beijos e tenha uma otima semana

http://mylife-rapha.blogspot.com

Dani C. disse...

Adorei o seu cantinho e já estou seguindo.

Beijinhos
Dani

(http://dannysfashion.blogspot.com.br/)
@_DanniC_

Bruna Trovão disse...

Você retratou de uma forma bonita a dor assim como os bons poetas!!!
Você escreve muito bem!
parabéns!
bjo

Stella Valim disse...

O texto é lindo, muito bem escrito e carregado de sentimentos, gostei, menina :)
http://www.senhoritaliberdade.com/

Heitor Lima disse...

Existem relacionamentos que acabam de uma forma tão traumatizante que ficamos dias como se não estivéssemos vivendo direito, né? D:
Ótimo post.
Té mais ;*

Erica Ferro disse...

Ah, o amor...